O juros rotativo é um termo muito utilizado quando o assunto é crédito exta, mas é comum que muitos não entendam exatamente o que isso significa.

Pensando nisso, separamos aqui todas as informações que você precisa saber sobre o assunto, para organizar as finanças e deixar as dívidas no passado.

Juros rotativo – O que é

juros rotativo

Para começar, vamos pensar em como os cartões funcionam.

Dessa forma, você tem um limite “X”, que pode ser usado a cada compra ou de uma vez, mas aquele é o valor total que você tem, independentemente de parcelar ou não.

Por exemplo, se você tem um limite de R$ 2 mil e faz uma compra no valor de R$ 1 mil em dez vezes.

Então, sobra R$ 1 mil de limite.

Na fatura mensal, vem a compra referente a aquele mês e parcelamentos.

Seguindo o exemplo acima, você parcelou e dois dias depois comprou uma blusa.

Então, na próxima fatura, virá a parcela da compra mais a blusa.

Ou seja, funciona como um empréstimo do banco, sendo que a cada fatura, você está devolvendo o dinheiro.

E qual o problema então?

O problema é que, quando a fatura fica muito alta e você não consegue pagar o valor total, fica devendo para o banco.

Logo, esse valor virá no mês seguinte acrescido do juros rotativo.

Portanto, o juros rotativo se refere as taxas que são acrescidas devido ao não pagamento de uma fatura ou de parte dela.

É importante destacar aqui que essa é uma das taxas mais altas do mercado e que pode levar você a uma dívida que nunca acaba.

Daí a importância de usar o cartão com sabedoria.

Também é por isso que, em alguns casos, pode ser interessante negociar a dívida.

Valor dos juros – Cuidado!

O valor dos juros é definido de acordo com o que você não pagou, ou seja, para cada um é bem diferente.

Logo, se você paga o valor mínimo, os juros serão menores do que se você não pagar nada da fatura.

O problema é que isso pode se tornar uma bola de neve.

Em síntese, se você não paga este mês, o valor passa para a fatura seguinte.

Ou seja, no próximo mês, você terá o valor daquela fatura, da fatura anterior que não foi paga e os juros.

Assim, as chances de você pagar o valor total são ainda menores.

Percebeu o ciclo não é?

Não à toa, novas regras começaram a valer a partir de 2017.

As novas regras obrigaram os bancos a transferir as dívidas para o que chamamos de crédito parcelado.

O que também significa taxas menores e uma chance maior de organizar a vida e pagar as contas.

Em outras palavras, ao invés de cobrar sempre os juros mais altos em cima da fatura, o banco oferece o parcelamento total.

O que é muito interessante quando você chega a tal situação.

Parcelamento automático

Muitos clientes são pegos de surpresa após não pagarem uma fatura, seja parcial ou total, notando um parcelamento automático.

Acontece que, se estiver em contrato, o banco pode fazer o parcelamento de forma automática.

Mas atenção: para isso, as taxas devem ser menores que o rotativo.

Os juros rotativo são uma das taxas mais altas de cartões de crédito, que pode fazer muitos clientes acabaram se endividando. Por isso, surgiram novas regras de parcelamento, sendo ideal que você organize as suas finanças.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!