Pular para o conteúdo

Quais erros cometidos pelo INSS que influenciam na aposentadoria?

  • por
Anúncios

Alguns erros cometidos pelo INSS podem acabar influenciando a aposentadoria, e esses são erros recorrentes.

De acordo com o INSS, no começo de 2022 foram contabilizados aproximadamente 1,8 milhão de processos na análise, sendo que 20% desses estão aguardando qualquer documentação por parte do segurado, o que atrasa o andamento da avaliação e junta mais solicitações do órgão.

Alguns detalhes na documentação, por exemplo, podem ser considerados para conseguir se aposentar e o INSS pode acabar errando. Enfim, confira abaixo algumas dicas para que o segurado consiga antecipar a sua solicitação de aposentadoria.

Período rural

Uma das coisas que podem ajudar é o período trabalhado em uma atividade rural, mesmo tendo sido por um período pequeno e sem contribuições ao INSS. Esse tempo rural pode auxiliar de forma significativa na solicitação de aposentadoria, sem dar prejuízo aos valores a serem recebidos.

Para provar esse período do trabalho rural, o segundo precisa separar todos os documentos referentes a essa época. Entre elas podem ser as NFs de entrada de entrada das mercadorias, o bloco de votos dos produtores rurais, a declaração do Sindicado dos Trabalhadores Rurais, entre outros.

Com o aumento do tempo, pela averbação do trabalho rural, a aposentadoria pode ser bem antecipada.

Imagem: Governo Federal

Dados corretos no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS)

O CNIS é o documento onde constam todos os vínculos trabalhistas e previdenciários da vida do trabalhador. Deste modo, esse cadastro é uma espécie de banco de dados trabalhistas e previdenciários de trabalhadores brasileiros.

É de muita importância a análise do documento, com a verificação das informações que constam nele. É necessário conferir se estão registrados todos os ambientes de trabalho nos períodos certos. No caso de ter erro pode ocasionar uma contagem menor no tempo de contribuição.

Períodos sem carteira assinada

Trabalhar certo período de forma informal pode ter acontecido com muita gente. Por causa disso, pode acontecer de um vínculo não aparecer no CNIS, Porém, o CNIS só registra aqueles trabalhos formalizados e, caso tenha algum informal, não aparecerá. Não adianta falar que atuou sem registro, é preciso documentar.

Ação Trabalhista

Quando você ganha uma ação de trabalho, acontece modificação nos valores para recolhimentos do INSS, e isso pode até mesmo gerar aumento na aposentadoria. O mais importante para antecipar a sua aposentadoria é usar as ações que contenham reconhecimento de tempo de trabalho como empregado.

O reconhecimento desse tempo em ação trabalhista gera um aumento no tempo de contribuição, facilitando o alcance às regras legais para a aposentadoria. 

Conversão do período especial

Caso você tenha exercido alguma atividade especial durante a sua vida laboral, ou seja, durante os trabalhos expostos a agentes perigosos ou insalubres, o segurado pode averbar esse período, no intuito de majorar o tempo de trabalho.

Dentre as profissões que se encaixam nessa aposentadoria informal, podemos citar os enfermeiros, médicos, metalúrgicos, bombeiros, químicos industriais, eletricistas, soldador, vigilantes, entre outros.

Tempo de Serviço Militar

A reforma da previdência permite que os bombeiros, policiais ou as pessoas que prestaram serviço militar usem o período, obrigatório ou não, nas forças armadas, para conseguir a aposentadoria especial.

No caso do segurado já estar aposentado e não tenha solicitado a inclusão deste período em sua aposentadoria, é possível que seja feita uma revisão no benefício para essa inclusão.

Vale ressaltar que o serviço militar pode diminuir e até mesmo eliminar a aplicação do fator previdenciário em aposentadorias, deste modo é essencial a inclusão, sendo muito necessário um documento que consiga provar a prestação do serviço militar ou uma declaração correspondente.

Ignorar o adicional de 25% na aposentadoria por invalidez

Mais um erro comum nessa questão é ignorar o adicional de 25% nas aposentadorias por invalidez. Esse adicional não vai ser para todo mundo que recebe aposentadoria por invalidez.

Ele só será devido para os segurados que, em benefício por incapacidade permanente, precisam do auxílio de terceiros. Ou seja, o tempo todo vai precisar ter alguém ajudando o segurado que, por razão de sua incapacidade, possui limitações tão sérias que não consegue fazer nada sozinho.

Carregando…