Pular para o conteúdo

As 5 profissões mais perigosas do mundo

  • por
Anúncios

São inúmeros os bordões que refletem a relação entre a sociedade moderna e o mundo do trabalho. Enobrece a alma e dignifica o ser humano, mas trata-se dos perigos vividos por uma série de profissionais que têm a sorte de sair de casa todos os dias sem necessariamente saber como (e se) irão regressar.

Mas, afinal, qual é a profissão mais perigosa do mundo? Abaixo falamos sobre alguns deles:

1 – Desarmador de minas
Desativadores de minas terrestres podem ter uma das habilidades mais perigosas do mundo, muitas vezes lidando com uma série de fatores contra sua própria sorte. Em um período de seis anos, cerca de 500 profissionais perderam a vida no trabalho.

Apesar dos avanços tecnológicos, os humanos ainda superam as máquinas em precisão nessa área. Enquanto o bot acertou até 80% das vezes, os resultados alcançados pelos profissionais humanos foram quase infalíveis: 99,6%.

Essa é aquela famosa profissão que você pode sair para trabalhar e nunca mais voltar. Apesar de terem toda uma cautela e códigos de segurança, um desarmador de minas terrestres podem acabar não tendo muita sorte quando convocado para uma missão desse tipo.

2 – Limpa-vidros para edifícios
A indústria é comum nas grandes cidades e, se realizada de acordo com os devidos padrões de segurança, não oferece riscos significativos à vida dos trabalhadores da limpeza. Ainda assim, qualquer descuido ou uma ocasional rajada de vento nas alturas pode tornar o paliativo ainda mais perigoso.

E essa é uma daquelas profissões que todo mundo vê no dia a dia, mas não tem a noção de quanto aquilo é perigoso. Apesar de parecer seguro, não são raros os casos de limpadores de edifícios que morreram durante o expediente.

3 – Mineiros
Em 2010, o mundo se concentrou na tragédia de 33 mineiros que ficaram soterrados em uma mina no norte do Chile por pouco mais de dois meses.

O episódio traz mais detalhes sobre o dia a dia dos profissionais, inclusive na extração de minerais preciosos em cavernas subterrâneas sob risco iminente de desabamento de minas.

Diferente das minas citadas no primeiro tópico, as minas terrestres apresentam outro tipo de perigo: as reações naturais.

Afinal de contas, uma mina terrestre não é um espaço adequado para uma pessoa ficar, mas por interesse das mineradoras os mineiros acabam sendo essenciais para esse tipo de trabalho.

A mineração é uma prática muito antiga e mesmo com o avanço da tecnologia, garantindo maior segurança para esses trabalhadores, os mineiros ainda continuam sendo profissionais que se arriscam muito durante a prática do seu trabalho.

4 – Acrobacia
Nesse campo, o risco definitivamente faz parte do cotidiano dos profissionais que, entre quedas, saltos, corridas, tiros e explosões, se deparam com todo tipo de cenários que colocam em risco a integridade física do elenco principal.

Ossos quebrados, ferimentos e eventual morte não eram acidentes no cotidiano desses verdadeiros heróis da sétima arte.

Dentro do esporte existem diversos profissionais que se arriscam. Poderíamos citar aqui os surfistas, pilotos de fórmula 1, etc, mas os acrobatas se colocam em risco a todo momento, pois apenas um pequenos deslize pode ser fatal ou ser um acidente com sequelas.

5 – Jornalista de guerra
Interrogatório, tortura, prisão e, em último caso, morte, são apenas alguns dos imprevistos que um correspondente de guerra pode encontrar pelo caminho.

Em 2015, 110 jornalistas foram mortos, de acordo com levantamento publicado pela organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) – 67 assassinados por motivos relacionados à profissão. Desde 2005, 67.787 jornalistas foram mortos durante o trabalho.

A depender do regime em que se passa um país, o jornalista nem precisa estar em uma guerra para ser considerada uma profissão perigosa.

Carregando…

Divulgado calendário PIS/PASEP 2023