Pular para o conteúdo

Como usar o benefício do INSS em empréstimos consignados?

  • por
Anúncios

Os empréstimos consignados são muito populares no Brasil, mas muitas pessoas ainda não sabem muito bem do que se trata.

Para quem não sabe, os empréstimos feitos em consignação são aqueles onde o débito gerado é descontado diretamente da folha de pagamento de quem contratou. 

Ou seja, o valor que vem nas parcelas será retirado todos os meses do salário ou do benefício daquele cidadão, no caso dele ser amparado pelo INSS.

Esse tipo de crédito normalmente é direcionado para os servidores públicos ou para os pensionistas e aposentados pelo INSS, já que esses grupos contém a maior incidência de renda fixa, um recurso que vai ser usado como garantia de que o empréstimo vai ser pago.

Vale lembrar que a pouco tempo a contratação dos consignados foi liberada para aqueles que recebem o BPC/Loas, os quais vão ter a mesma margem consignável disponível para os aposentados, que é de 40%.

Imagem: Governo Federal

Condições do empréstimo consignado

A taxa de juros, assim como as parcelas das operações ficam a escolha de cada instituição financeira ou banco. Ou seja, essas condições vão ser determinadas pelo banco onde se escolheu pedir esse crédito.

Geralmente, os empréstimos consignados costumam contar com os juros mais baixos, justamente por se tratar de uma categoria com baixo risco para empresas credoras, considerando que existe uma garantia de que essa dívida vai ser paga. É determinado pelo governo essas condições:

  • É possível usar cerca de 40% do valor enviado por mês pelo benefício para pagar as parcelas desse empréstimo consignado;
  • 35% é disponibilizado para o empréstimo pessoal e cerca de 5% para a contratação de cartão de crédito consignado;
  • É preciso desbloquear o benefício para o empréstimo, como ter selo ouro ou prata no Gov.br.

Vale lembrar que essas condições são aplicadas nos pensionistas, aposentados e os beneficiários do BPC/Loas.

Como desbloquear o benefício

Como já falamos, é necessário ter uma conta com o selo ouro ou prata no Gov.br para que seja possível viabilizar a contratação deste empréstimo consignado.

No geral, esses selos são definidos para a segurança do segurado, ou seja, é uma forma do governo conferir se essa pessoa é, de fato, o que ela diz ser.

Esses selos são divididos da seguinte forma:

  • Bronze: para quem em a validação do CPF ou da Previdência Social;
  • Prata: para as pessoas que possuem a validação presencial do INSS ou uma biometria cadastrada;
  • Ouro: para as pessoas que têm uma validação biométrica emitida pelo TSE.

Caso atenda a esses critérios, o desbloqueio desse benefício pode ser feito de uma forma completamente digital. Isso é realizado por meio da plataforma do “Meu INSS”, da seguinte forma:

  1. Acesse o site do Meu INSS; 
  2. Faça o login com sua conta Gov.br, informando o CPF e senha cadastrada; 
  3. Busque pela opção “Novo Pedido”; 
  4. Em seguida, clique em “Novo Requerimento”;
  5. Procure na barra de pesquisa o serviço desejado (digite “desbloqueio”); 
  6. Clique na opção  “Bloquear/Desbloquear Benefício para Empréstimo Consignado”  que aparecerá na tela; 
  7. Confira as condições para o empréstimo consignado, caso esteja de acordo, clique em “Avançar”; 
  8. Verifique suas informações previamente preenchidas e se certifique que estão corretas. Na mesma etapa informe seu número de celular; 
  9. No campo adicional também será necessário informar o número de inscrição do benefício; 
  10. Feito isso, basta clicar em avançar e concluir o pedido. 

Vale lembrar que a autarquia possui até 30 dias para poder liberar uma resposta. Todavia, isso normalmente acontece entre 7 a 15 dias. 

 

Carregando…