Pular para o conteúdo

Empréstimo do Auxílio Brasil: veja novas informações

Anúncios

A semana foi de novidades para quem espera pelo empréstimo. Confira!

Após o anúncio do Governo Federal de que os beneficiários do Auxílio Brasil teriam direito a empréstimos, muitos começaram a aguardar com grande expectativa pela ativação. Ainda não é possível fazer a contratação, mas várias informações começaram a ser divulgadas para que os interessados se preparem para a oportunidade.

Em primeiro lugar, o empréstimo será da modalidade consignado, ou seja, o usuário não conseguirá atrasar parcelas, já que elas descontarão assim que o auxílio for pago. Portanto, o beneficiário não ficara inadimplente se aderir. Uma taxa fixa de juros também foi fixada, e é de 3,5% ao mês.

Cada beneficiário terá um limite para comprometer o auxílio, já que a intenção é que ninguém fique sem os pagamentos, portanto, somente 40% do valor pode ser comprometido, e o empréstimo durará no máximo 24 meses no quesito parcelas. Agora que você entende as informações básicas, vamos as principais dúvidas quanto essa possibilidade que já bate a porta.

Empréstimo do Auxílio Brasil: perguntas e respostas

Separamos as principais dúvidas dos usuários quanto ao empréstimo, e você entenderá como solicitar, quem pode contratar e quais bancos ofertaram essa possibilidade ao beneficiário do Auxílio Brasil.

Quem pode solicitar o empréstimo?

Beneficiários do Auxílio Brasil e também do BPC, Benefício de Prestação Continuada, podem pedir pelo empréstimo que pode ser feito pelo responsável da família beneficiária diretamente nos bancos autorizados pelo Ministério da Cidadania.

Quais bancos foram autorizados?

Segundo o governo, 12 instituições foram autorizadas a oferecer o empréstimo, entre elas, a Caixa Econômica Federal. A lista tem bancos digitais e instituições tradicionais do país, são elas:

 

  1. Banco Agibank S/A
  2. Banco Crefisa S/A
  3. Banco Daycoval S/A
  4. Banco Pan S/A
  5. Banco Safra S/A
  6. Caixa Econômica Federal
  7. Capital Consig Sociedade de Crédito Direto S/A
  8. Facta Financeira S/A Crédito, Financiamento e Investimento
  9. Pintos S/A Créditos
  10. QI Sociedade de Crédito Direto S/A
  11. Valor Sociedade de Crédito Direto S/A
  12. Zema Crédito, Financiamento e Investimento S/A

Fonte: Infomoney

É importante destacar que nem todos os bancos irão exatamente optar pelo empréstimo, isso porque alguns ainda avaliam, outros devem desistir da oferta ou ainda não disponibilizaram a opção até agora. Entre os bancos que já divulgaram as taxas de juros e aceitaram a autorização:

Pintos S/A Créditos

Na última terça-feira a instituição afirmou uma taxa de juros de 2,89% ao mês para o empréstimo, mas o contrato só pode ser feito de forma presencial, ou seja, não há solicitação pela internet.

QI Sociedade de Crédito Direto S/A

O site da instituição divulgou nessa semana que as taxas de juros para os empréstimos do Auxílio Brasil serão de 3,39% ao mês, e o produto será disponibilizado em parceria com a Meutudo, uma fintech. Acesse o site e faça uma simulação sem sair de casa.

As demais instituições ou ainda não avaliaram as taxas de juros, ou não informaram quando efetivamente irão oferecer a modalidade.

Empréstimo: as taxas de juros

A permissão de taxa de juros máxima é de 3,5%, e, de forma mensal, equivale a 51,1% em um ano, e em dois anos, 128%. Esse cálculo é importante para entender o peso no orçamento em dois anos de pagamentos. 

O Ministério da Cidadania informou que essa é uma taxa máxima, portanto, cada instituição adotará as taxas que desejar, até mesmo menores. Pesquise entre as instituições qual oferece um melhor negócio. Citando a Caixa, o banco oferece juros de 3,45% ao mês para os usuários do empréstimo.

Propaganda por Bancos

A portaria que regulamentou o empréstimo não pode ser propagado, por estratégias de publicidade em televisão, outdoors ou redes sociais. Isso significa que a instituição financeira deve ser procurada, não entrar em contato com os clientes oferecendo a modalidade. Portanto, é possível denunciar se isso ocorrer de alguma forma.

O que preciso saber quando formalizar o empréstimo?

Fique atento(a) as informações que as instituições devem informar ao beneficiário na hora de celebrar em contrato, para não haver problemas. Em primeiro lugar, o beneficiário deve ser informado do valor total ofertado, com ou sem juros.

No fechamento, o banco deve informar também a taxa mensal e anual de juros, acréscimos eventualmente acrescentados, o valor e a quantidade de parcelas, a soma a pagar no empréstimo consignado, além da data inicial e final dos descontos.

O usuário deve cobrar ainda informações sobre o valor da comissão para a terceirizados, ou seja, as instituições contratadas para oferecer o empréstimo, sem esquecer do CNPJ do banco, do correspondente bancário e o CPF do agente subcontratado. Por fim, o beneficiário do Auxílio Brasil precisa estar ciente do valor líquido restante do benefício após a contratação do empréstimo.

Quando começa os pagamentos?

Diferentemente de outros empréstimos, esse não tem carência, portanto, quando há a contratação, o usuário inicia os pagamentos imediatamente no mês seguinte a contratação, observando as cobranças sempre na mesma conta que recebe o Auxílio Brasil.

 No caso de usuários do BPC, a parcela máxima definida é de R$ 484,40. Já os beneficiários do Auxílio, podem comprometer somente 40% do valor, que até dezembro está R$ 600,00. Após dois dias úteis da aprovação do empréstimo, o dinheiro cai na conta de recebimento dos benefícios.

E se o benefício acabar, e eu ainda tiver parcelas? 

Nesse caso, o usuário terá que acertar as contas com o empréstimo até o fim do contrato, que tem o máximo de dois anos. Assim, é obrigatório aos beneficiários depositar na mesma conta as parcelas até o fim do contrato se não quiser ter o nome inserido em programas de proteção de crédito. 

Isso também vale para aqueles que tiveram os benefícios bloqueados por qualquer motivo. Mesmo sem pagamentos, a obrigação de pagamento permanece atrelada ao nome do usuário, com ou sem benefício. Destacamos que é importante verificar se é valido garantir um empréstimo como esse e evitar endividamento, visto que o valor do benefício é baixo para garantir parcelas sem prejudicar o orçamento das famílias.

 

Carregando…